Visitantes

domingo, 12 de maio de 2019

A Vergonha Que Passei Em Curitiba


A contrário dos meus últimos dois textos que publiquei aqui, que foram em estilo poesia, este será como a maioria dos demais, em estilo crônica, histórias reais que aconteceram em minha vida.

Em 2010, em minha primeira viagem só, estava eu voltando para casa. Era um final de tarde de domingo. Meus amigos Marcelo e Camila foram me deixar no aeroporto de Curitiba. Chegamos muito cedo, por isso eles não esperaram minha hora de embarque. Fiz o check In, e logo eles retornaram para suas casas.

Até então estava tudo bem, pois na viajem pude conhecer a cidade, seus principais pontos turísticos, gastronomia e etc. Fui bem acolhido pela família de minha amiga Jussara, que mesmo estando fora do país (Boston - EUA), fez o possível para minha estadia na cidade fosse a melhor possível.

Pois bem, logo quando eu já estava dentro do avião, todo já acomodado, escuto a seguinte frase: "Atenção senhores passageiros com destino a Teresina...", Fiquei louco, nem prestei atenção no restante da frase e já fui logo retirando o cinto de segurança e falando em voz alta: "Mas eu não vou para Teresina, vou para Brasília". Logo todos riram, e a senhora que estava ao meu lado falou: "Calma meu filho, esse voo vai para Teresina, porém com escala em Brasília".

Nesse exato momento me dei de conta da vergonha que passei, foi o impulso. Me imaginei chegando em Teresina, mesmo sem nunca ter ido, imaginei o calor que faz lá. Também imaginei como faria para voltar para Brasília, tive medo de não encontrar voo e acabar perdendo meus compromissos da segunda feira.

Assim foi essa vergonha que passei em Curitiba. Na verdade eu nem sabia o que existia voo com escala, pensa na inexperiência da pessoa. Como na vida tudo temos algum aprendizado, tirei dessa experiência a curiosidade de pesquisar mais sobre a passagem que se compra, bem como pensar antes de falar.

A imagem acima trata-se de uma foto tirada por mim no aeroporto de Curitiba, naquela época nem tinha smarthphone, foi pela minha câmera fotográfica digital Sony Nick Shok, que era top de linha.
Obrigador por lê o meu texto. Gostaria de lembrar que estou escrevendo dois livros, e quando eles forem publicados vou avisar aqui no blog.

Forte abraço, paz e luz.

Edir Rodrigues
noriega@edirrodrigues.com

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Meu Olhar


Vejo muitas coisas que por vezes não queria ver
É inevitável, por mais que não queira transparecer
Atroz fugaz realidade, capturada num simples olhar
Que por muitas vezes tão triste que me faz chorar

Sentir a dor alheia não é opcional, é emocional
De repente a realidade se confunde com ficção
A dor aumenta, que parece partir meu coração
Ah! Olhar perdido, as vezes achado, desiludido

Quantos olhares estão a vagar na desilusão
Entôo uma prece, faço uma petição
Que se firmem nos olhares, fixos ou não
Ai Deus do Céu! É demais para meu coração

quarta-feira, 27 de março de 2019

Devaneio


Poucas palavras, sorriso escasso e pensamento profundo. Atualmente ser eu tem sido um fardo.
Emergi numa lacuna oscilante, um destino sem dor me foi negado. Nunca disse amar sem ter amado.

Sonho quando era pequeno, sem preocupação no coração. Sigo vendo aquele momento, desvaneceu, desapareceu.
Mas meus sonhos não são vazios, como parece a consciência, é tristeza imensa. Detrás do olhar perdido, há um abismo.