Visitantes

terça-feira, 20 de junho de 2017

Então amanhã, hoje será ontem.



Constantemente reflito sobre a complexidade que é a percepção da existência humana. Ser vivo é  poder pensar,  é como se expressou René Descartes: penso, logo existo. Acredito que isso seja uma inquietação inevitável, porém poucas pessoas se auto conscientizam sobre isso.

Não é nada fácil expor minhas tristezas e frustrações de modo público, num mundo onde as pessoas só querem ver coisas felizes. Porém essa é uma maneira de aliviar a tensão, que por muitas vezes me sufoca. E o bom de tudo é que as vezes consigo relatar tragédias de forma cômica, evitando seu verdadeiro peso. Não nego que nessa vida já tive muito mais tristezas que alegrias, porém mesmo que inevitável, tento não me deixar abater.

Não seguirei nessa publicação uma ordem cronológica dos fatos, vou narrar uma interessante e quase inacreditável crônica de minha vida. Quando decidi escrever sobre o fato de "amanhã, hoje será ontem", foi algo repentino, uma inspiração aleatória. Pensei profundamente sobre essa frase, no mesmo instante a publiquei em meu Twitter e Facebook.

Se amanhã, hoje será ontem, deve-se viver de forma intensa, por que os momentos vividos são eternos, porém nunca retornam. Quantas vezes deixamos de viver o hoje pensando apenas no amanhã. O segredo da felicidade é vivermos cada momento como se fosse o último. Aproveitar melhor as pessoas, os lugares, tudo que estiver ao nosso alcance.

A foto acima é o interior de uma igreja, trata-se da Paróquia Divino Espirito Santo. Estive nessa igreja em 20 de março (de 2017), mesma data que tirei a foto, onde pude recordar e refletir sobre muitas coisas de minha vida. Acredito que não foi por acaso. Nessa data eu deveria buscar um irmão no aeroporto de Brasília, que chegaria de uma viagem do Rio de Janeiro. Porém não estava com paciência para voltar para casa depois do trabalho, enfrentar engarrafamento e depois ir ao aeroporto.

Então, resolvi ir direto do trabalho ao aeroporto, porém tinha apenas um pequeno detalhe, tinha um tempo entre minha chegada até o horário de chegada do voo de meu irmão. Foi quando tive a brilhante ideia de ir a casa de outro irmão, num bairro próximo, o Guará. Ao chegar na casa desse irmão, houve um problema e não consegui ser atendido pois o interfone havia quebrado. Então resolvi andar pelo local até da hora de chegada do voo.

Foi quando estava dirigindo e de repente olhei para o lado e vi a igreja, foi quando lembrei de uma história do início de minha adolescência. Pois esse foi a primeiro templo católico que entrei, e fui pago por isso. É isso mesmo, fui pago para entrar na igreja católica. Eu devia ter meus treze anos, quando estava passando uns dias na casa de um primo, que mora na quadra onde fica a igreja. Era noite de natal, e o padrinho dele ia ir cantar no coral da igreja, na missa do galo.

Ele me convidou, eu claro recusei. Afinal não sou católico, e fui ensinado desde cedo a evitar imagens e esculturas de "santos", e tudo que envolvesse o catolicismo. O tal primo insistiu no convite, e continuei a recusa. Foi quando de repente ele apelou para o pagamento, diante do valor oferecido, caí em tentação, pois naquela época valor era muito, ainda mais para um simples adolescente. Foram R$25,00, esse foi o valor pago para que eu fosse a igreja com ele.

Hoje continuo sem ser católico, porém sem preconceitos com o catolicismo, acredito que já entrei umas cinco vezes em templos dessa religião. Não tenho mais contatos com esse primo. Mesmo não professando nenhuma religião, acredito num Deus universal e fraterno, sem dogmas e rótulos. Me sinto alguém melhor que antes, de consciência expandida. Que possamos viver a vida intensamente, afinal, amanhã, hoje será ontem.

Quem quiser conhecer a Paróquia Divino Espirito Santo, compensa muito, é um templo bonito e acolhedor, localiza-se na Entre Quadra QE 32/34 - Guará II, Brasília - DF. Tel. (61) 3381-7131.

Conheça mais sobre mim, acesse meu Site Oficial, siga-me no Twitter e Instagram, inscreva-se no meu Youtube e curta minhas páginas: La Puerta Del Cielo, The Alchemist e Tétrade Sombria.

Um forte abraço, paz e luz.

domingo, 12 de março de 2017

Vontade de sei lá




Estou um vivendo um momento confuso, uma paixão, um caso, algo inexplicável, e como tudo na minha vida tem uma trilha sonora, a desse é Tribo da Periferia - Visão ta ouro

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Ei parceiro, esse carro é meu!


Hoje acordei confuso e desnorteado, com perguntas sem respostas e incertezas. Olhei para o teto, para os lados, quando de repente notei que uma profunda tristeza permeava coração. Tratei de levantar e buscar motivação para mudar essa triste realidade.

Lembrei do Kundalini Festival, como eu gostaria de estar lá agora. Ainda mais tendo no line Imba, Marabá, Artificat 303 e Purist. Mas nem tudo sai do jeito que gostaríamos. Enfim, como todos os momentos de minha vida tem uma trilha sonora, esse não poderia ser diferente, comecei com a música Vuelve.


Essa música  retrata muito bem o que tenho vivido, vamos aos trechos:

Despues de todo fui yo decirte que no 
Sabes bien que nos es cierto
Estoy muriendo por dentro

He intentado encontrarte en outras personas
No es igual, no es lo mismo
No se separa un abismo

Tradução:

Depois de tudo fui eu a te dizer que não
Você sabe bem que não está certo
Estou morrendo por dentro

Eu já tentei te encontrar em outras pessoas
Não é igual, não é a mesma coisa
Estou morrendo por dentro

Tento me proteger das desilusões, mas as vezes é inevitável, quando vejo, já aconteceu. Na noite passada não foi diferente, levei um perdido repentino. Fiquei surpreso, tentei não acreditar, mas já era uma realidade, diante perplexidade resolvi ficar no lugar por mais alguns momentos.

De repente vi um cidadão dirigindo um  carro igual ao meu, mesma cor, marca e modelo, rodas, até o amassado, só divergia a placa. Diante das evidências cheguei a pensar que a placa poderia ter sido trocada em poucos instantes. Não hesitei, aproveitei a baixa velocidade em que o veículo se encontrava, corri até ele disse: "Ei parceiro, esse carro é meu!"

O peguei pelo braço, ele ficou assustado e disse que não era o meu e sim o dele, que tinha acabado de ver o meu abaixo estacionado. Logo olho abaixo e lá estava meu carro do mesmo jeito que eu havia deixado. O pedi desculpas, envergonhado tentei disfarçar o mico, fui até o carro e vim para casa.

Voltei pensando, o que leva alguém a brincar com as outras? O que fiz para merecer tal perdido, logo eu, uma pessoa que sempre presou pela sinceridade, eu não mereço isso. Infelizmente muitas pessoas faltam com a sinceridade, brincam com as outras.

O que me conforta, é saber que tenho pessoas ao meu lado com quem posso contar, tenho uma excelente família e alguns bons amigos.

A foto acima foi tirada na manhã de hoje (17/02/2017), são presentes que ganhei de pessoais especiais, em momentos distintos de minha vida, são xícaras, a primeira ganhei da Nívia Nery em um aniversário meu, ela caprichou no presente, pois escolheu personalizada do meu time do coração, o Vasco da Gama. Já a segunda ganhei da Andressa Rodrigues em confraternização do meu antigo trabalho, veio personalizada com meu nome. Já terceira, ganhei do Diogo Ribeiro, num passeio no Shopping Nova América, na cidade do Rio de Janeiro no ano passado.

Termino essa reflexão, tendo como trilha sonora a música Não Adiantou Saber. Agradeço por ter usado parte do seu precioso tempo para lê minhas singelas palavras.



Forte abraço,

Edir Rodrigues

www.facebook.com/EdirRodrigues
www.youtube.com/EdirRodrigues
www.twitter.com/EdirRodrigues

domingo, 22 de janeiro de 2017

Domingo é dia de churrasco


Domingo é dia de churrasco, piscina, juntar a família e amigos. Porém acima de tudo, de reflexão. Vou tratar de uns assuntos neste texto sobre a natureza humana, como as pessoas se comportam, muitas as vezes sem medir as consequências dos seus atos.

Eu fico pensando, como pode muita gente pode ser tão mesquinha e egoísta. Não me surpreendo mais com nada e ninguém. Confesso que antes me irritava perceber que alguém se aproximava de mim por interesse, afinal quem gosta de sentir-se usado?

Lembro que certa vez publiquei em meu Twitter a seguinte frase: "Sou fruto de um pensamento. Nada que publico aqui pode me definir, porque cada dia acordo mais experiente e diferente daquilo que fui ontem". Por mais que já tenha algum tempo, esse pensamento continua mais atual do que nunca.

Muitos nem disfarçam o interesse, não sei se por não ter a capacidade de perceber que posso notar, ou por burrice mesmo. Muitos já passaram por minha vida, alguns chegam a ser bizarros. Mas enfim, sigo meu caminho, sempre analisando a todos, é como eu escrevi aqui anteriormente, que quem é de verdade, sabe quem é de mentira.

Um fato é notório, que os verdadeiros permanecerão, já os interesseiros irão, por conseguirem ou não que seus interesses fossem antedidos. Chega ser engraçado a perceber que muitos se afastaram depois de conseguir carro, emprego, namoro e etc. Isso me fez lembrar outra frase que publiquei semana passada: "Quem não passa sede comigo não é digno de beber de minha água".

Dia desses um "amigo" me chamou para sair, mas que coincidência, logo que ele já estava sem carro. Quando essa pessoa não tinha carro me convidava para sair, após a aquisição do veículo automotor nunca mais me chamou para nada. Seria uma mera coincidência? Me chamar para sair logo agora que deixou de ter carro?

Diante dos fatos expostos, concluo que besta é quem tenta se aproveitar de mim. Não os julgo, afinal vivemos num mundo capitalista, quem é que não quer se dá bem? Porém vamos ser um pouco mais espertos né meu povo?

Instagram
Twitter
Youtube

Forte abraço,

Edir Rodrigues


sábado, 7 de janeiro de 2017

Retrospectiva 2016



Inicio este texto, que é o primeiro do ano, desejando um feliz ano novo, mesmo que atrasado. Espero que tenham tido uma excelente virada, com muita paz, amor e saúde. Que nesse ano de 2017 possamos realizar nossos sonhos. Seguindo a linha da Oração de São Francisco: Que o ódio vire amor, que a ofensa vire o perdão, que no desespero haja esperança, que a tristeza se transforme em alegria, e principalmente onde houver trevas que chegue a luz, é tudo que desejo.

É como um pensamento que li dia desses no Facebook, que não existem sonhos impossíveis para aqueles que realmente acreditam que o poder realizador reside no interior de cada ser humano, que sempre que alguém descobre esse poder, algo antes considerado impossível se torna realidade. 

Eternizo 2016 levando na bagagem novas experiências, que me acrescentaram maior maturidade, como homem, cidadão e pensador. Mesmo sendo impossível agradar a todos, pois nem Cristo o conseguiu, rogo perdão aos que em algum momento sentiram-se decepcionados comigo. Pedir desculpas nem sempre significa que você errou, às vezes você valoriza mais seu relacionamento com essa pessoa, do que seu ego.

O ano de 2016 foi de muitas alegrias, realizações, decepções e aprendizados. O desespero por muitas vezes bateu em minha porta, mas Deus, em sua infinita misericórdia, me concedeu o consolo.

Vou relatar um pouco dos momentos que marcou o ano que se passou, os bons e os ruins, por que a vida não é feita só de momentos bons. Tive a melhor férias de minha vida, tive o privilégio de ir ao Zuvuya Festival, e logo depois viajar para o Rio de Janeiro, viagem sensacional, muito bem acompanhado da Cleidiane Menezes, tive o prazer de conhecer lugares e pessoas maravilhosas. Marcante foi encontrar nessa viagem ao Rio, meu grande amigo Diogo Ribeiro, uma pessoa pela qual tenho um apreço enorme.

Além do Zuvuya Festival, em 2016 tive o privilégio de ir ao Festival Alternativo do Krant, e nas privates Florence, Progressive DayFesta da Vagalume, Flip Out, Sons do Cerrado, Sabedoria Oculta, Santuário Ecológico e na maior da região, a super badalada Psycotrance, momentos mágicos que levarei para eternidade.

Foi o ano em que enfim conheci o Santo Daime, e pela primeira e única vez fui numa boate LGBT. Fui a igreja três vezes, duas presbiteriana e uma batista. Tive meu coração despedaçado, fui enganado, iludido ao reatar um relacionamento após dez meses de seu fim, me entreguei de coração para alguém que fingiu me amar e só brincou com meus sentimentos, chorei, sofri, sei que um pedaço meu jamais será recuperado, porém ficou o aprendizado.

Terminei o ano realizado profissionalmente, reconhecido, e acima de muito feliz. Agradeço muito a Deus pela família e amigos que tenho. Busquei fazer o que minha consciência ficasse tranquila, ousei e não me arrependo de nada que fiz, faria novamente, afinal só sabe se é bom ou ruim experimentando.

Interesseiros como sempre apareceram pela minha vida, muitos por dinheiro, outros por carro ou status, mas enfim, os reconheço facilmente e sei que suas amizades tem prazo de validade, afinal quem é de verdade sabe quem é de mentira.

E para finalizar bem 2016 e começar ótimo 2017, na virada de ano participei da Santuário Ecológico, Edição Ano Novo. Uma celebração mágica, cheia de muita paz e energias positivas.

Que em 2017 tenhamos menos "mimimi" e mais "bora bora".
Que O Grande Arquiteto do Universo, em sua infinita graça, esteja convosco hoje e sempre. Amém.

Namastê!

Forte abraço,

Edir Rodrigues