Visitantes

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

NOTA DE AGRADECIMENTO.

Venho por meio desta, agradecer a todos que carinhosamente usaram um tempo do seu dia pra me desejar feliz aniversário na segunda feira (23/09), deu certo, pois foi um dia muito feliz mesmo... Aos que ligaram... Aos que mandaram sms, Aos que me visitaram.... Aos que não puderam estar on-line. 

Deus dê em dobro tudo que me desejaram! Sou uma pessoa muito feliz, feliz mesmo... Pois tenho pessoas maravilhosas que me cercam... Uns bem de perto... Uns de longe... Outros de bem longe... Não importa a distância e sim o carinho... Isso é um presentão de Deus pra minha vida...
Agradeço em especial a minha excelente família, por tudo de bom que tenho e sou. Agradeço também a Val AlmeidaErivelton de Sousa e Kakau Alves por terem me proporcionado uma excelente festa no sábado, e todos que compareceram nessa festa. Que Deus os abençoe.
Um forte abraço a todos vocês.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Céu - Malemolência

NOTA DE REPÚDIO


Venho por meio desta, demonstrar minha imensa insatisfação com a ação abusiva cometida pela Polícia Militar do Distrito Federal com os manifestantes na noite passada (26/06/2013) na Esplanada dos Ministérios. É uma vergonha saber que esses bandidos fardados são pagos com nosso dinheiro. Não estou sendo sensacionalista, presenciei diversos abusos cometidos por eles. Desde já peço sinceras desculpas aos meus caros amigos que são policiais, acredito que eles jamais agiriam como os que vi essa noite. Acredito que os policiais deveriam passar por uma reciclagem, principalmente aprender o básico que está na Constituição Federal, só assim teremos uma sociedade mais justa, sem esses abusos que são inaceitáveis

quinta-feira, 28 de março de 2013

Apesar de acreditar na predestinação, essa foi a melhor resposta que tive dos meus amigos no ask. http://ask.fm/edirrodrigues

segunda-feira, 25 de março de 2013

SIN RETORNO

Desde este universo quebrado
que a la pesadez de mi párpado
otorgó el transcurrir del tiempo,
preveo el final de mi existencia.

Observo en respetuoso silencio
todo lo que fue mi vida pasada
ese deambular, sombras pardas,
interminable carrusel grotesco
girante a lomos de las horas,
montando en minutos efímeros
y galopando sobre los segundos.

Esa vida que ya solo es sueño
perdido en los abismos oscuros
de esta mi soledad perpetua,
y hoy aún admiro ensimismado
los dorados rasgos de mi amada
difuminados entre las brumas.

¿Qué cantos de sirenas mudas
recorrieron los ocultos rincones
de este mi corazón desnudo
haciéndome vibrar y estremecer
hasta la última de mis fibras?

Fue sueño de amor, fue locura,
quizás una pasión desmedida,
en esencia , fuese lo que fuese,
de esa su naturaleza fenecida
quedó constancia en mi mente
y raíces profundas en el alma.

Vida, que por vivir,
mueres.

Amor que por amar,
matas.

Sueño que por soñar,
duermes.

Horas que herís cual estilete,
minutos idos sin ser sentidos,
segundos que nunca fueron,
devolved, liado en paño negro
bordado en flores de nácar,
hilo de plata y cadena de oro,
el sentimiento latiente y puro
del que fue mi bien adorado.

Ya emprendí mi largo viaje,
solo con equipaje de alma,
tan solo ida, no hay retorno.

No estoy en sitio visible,
en ninguna parte imaginable,
navego sin rumbo en la nada,
la brújula se torno enemiga
igual que antes hizo el tiempo,
giro entre la rosa de los vientos
como una mariposa herida,
y por esto que premio espero
de yacer bajo la lápida fría.