Visitantes

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Até tu Brutus?

Em meio à crise política em que se encontra nossa cidade, reflito sobre os valores da dignidade humana, e indago ainda, até quando a honestidade é mantida? Realmente todo ser humano têm um preço? Qual é o seu preço? Ainda existem políticos honestos ou todos são iguais?

Muitos dos envolvidos são velhos conhecidos nossos, pessoas com que já mantemos laços de convívio social, enfim, eles fizeram suas defesas, mas até que ponto podemos acreditar neles?

Segue abaixo as notas de esclarecimentos, leia cada uma e tire suas próprias conclusões:

Gostaria de esclarecer os fatos infelizes que colocaram meu nome em evidência nos últimos dias, por conta da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.Primeiramente, afirmando que não tenho nada a ver com essa história. E acho que deve ser feita uma diferenciação entre as pessoas citadas, por conta da divulgação pela mídia. Para isso, anuncio algumas medidas que vou tomar para retirar meu nome definitivamente deste escândalo. - No meu partido, o PSB, eu pedi para que fosse aberta uma investigação. Assim, vou poder me defender das acusações internamente. Sou o maior interessado em ver as denúncias esclarecidas. - Abri mão dos meus sigilos fiscal, bancário e telefônico para colaborar voluntariamente com a investigação policial. - Por decisão de minha parte e do meu partido, vamos romper com o atual governo. - Dentro da Câmara Legislativa, vou me manter à disposição dos colegas para maiores esclarecimentos. E para evitar constrangimentos, eu me retirei da CCJ, a Comissão de Constituição e Justiça, por onde passam os processos de apuração da conduta dos deputados. O trabalho deve ser feito de forma isenta.Em minha defesa, preciso divulgar os fatos, tais como aparecem no processo. E não de forma generalizada como foi veiculada pelos meios de comunicação. - Não há nenhuma gravação de áudio ou vídeo onde eu apareça em qualquer circunstância da investigação. - Lamentavelmente, tive meu nome citado uma vez em uma conversa de terceiros, sem a minha presença e em um contexto confuso do submundo da política local. - Não conheço e nunca tive qualquer tipo de contato com o Sr. Durval. - Por conta da citação do meu nome por terceiros, fui submetido a uma busca e apreensão em casa e no meu gabinete. Importante: na operação, não foi apreendida nenhuma importância em dinheiro ou qualquer tipo de documento comprometedor. Nada. Nenhum centavo. - Meu trabalho e meu mandato sempre serviram para conquistar benefícios coletivos de forma transparente. Afirmo veementemente que nunca recebi nenhum benefício pessoal deste governo.Minha posição é a de contribuir com todos os procedimentos legais e regimentais que possam esclarecer as graves denúncias que se abatem sobre nossa cidade, sem pré- julgamentos ou condenações antecipadas. Esse momento exige serenidade e responsabilidade. Defendo com convicção que tudo deve ser apurado.

ROGÉRIO ULYSSES – Deputado Distrital


O Conselho de Bispos da Sara Nossa Terra vem, por meio desta, trazer o posicionamento sobre os últimos acontecimentos políticos no Distrito Federal.
Manifestamos nosso repúdio a todo desvio ético e a toda forma de corrupção em quaisquer atividade. No caso dos religiosos envolvidos no inquérito e nas imagens divulgadas pela imprensa o dano é maior porque cabe a eles a missão de serem luz do mundo e sal da terra.
Lembramos, que o caminho da redenção das falhas humanas é o arrependimento, a confissão e o abandono.
Apesar das imagens divulgadas pela mídia, estamos aguardando a completa apuração das irregularidades pelas autoridades competentes.
Nossa oração é para que crises como estas sejam usadas por Deus, para uma nova realidade política e social da nação brasileira, que tem se tornado o clamor de milhares de cristãos por esse Brasil.
Brasília - DF, 03 de Dezembro de 2009.

Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra - sobre seu membro Deputado Distrital Leonardo Prudente