Visitantes

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Eu na Operação Lava Jato


Olá caro leitor, após três meses sem publicar textos, venho com este, em breve publicarei a íntegra, que é cheia de surpresas, revelações e aventuras. Forte abraço, paz e luz.

noriega@edirrodrigues.com

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Um dia de fúria


Hoje me senti na pele do personagem William Foster, interpretado pelo talentoso ator Michael Douglas no filme Falling Down, na versão brasileira "Um Dia De Fúria". Pois no meu dia hoje passei muita raiva.

Tirei o dia para resolver alguns problemas do meu carro, entre eles o pisca alerta, trava, volante e amortecer da fechadura do porta-malas. Pois bem, aqui em Brasília, no bairro Taguatinga, temos um setor chamado Setor H Norte, um lugar onde se concentra muitas lojas especializadas em diversas produtos e serviços automobilísticos. Pois foi para lá que me dirigi, afinal meu carro estava precisando de manutenção.

Pois a tarde no Setor H Norte foi bem produtiva, troquei o volante, arrumei trava, o pisca alerta, a luz de ré e a seta, porém faltava uma coisa, que estava me incomodando muito, o amortecedor do porta-malas. Pois toda vez que eu ia ao supermercado, ao voltar com as compras lembrava que o porta-malas após aberto não segurava mais a tampa só, era preciso segurá-lo para guardar as compras, isso me causava muito incômodo.

Por ser esse o último serviço que faltava, pedi indicação na loja na qual fiz a manutenção da luz de ré e seta, me foi indicado uma loja de renome, que fica na Área Especial 19 do setor, não vou citar o nome da loja por questão de ética.

Por ser uma grande loja e muito conhecida, jamais pensei enfrentar qualquer tipo de problema na mesma, entretanto passei por momentos de total fúria. Tudo começou no quando perguntei em um enorme balcão com diversos atendentes onde eu poderia comprar o amortecedor. O atendente me formou que o local era aquele mesmo, que lá fazia o pedido e depois se dirigia ao outro balcão, me mostrou acenando com a mão. Então assim o fiz, me foi perguntado marca, modelo e ano de fabricação do carro, fiz o pedido e fui ao balcão indicado.

Chegando ao balcão indicado, depois de um tempo percebi que aquela aglomeração de pessoas que esperavam por atendimento, não se tratava de fila, pois os clientes eram chamados pelos seus nomes e lhe eram entregues suas peças, porém sem nenhuma pagamento, apenas retenção de uma nota. Foi quando tive a curiosidade perguntar a um cliente a ordem daquele fluxo, foi quando ele me informou  que naquele atendimento era apenas para entrega, que eu deveria primeiro me dirigir ao caixa, fazer o pagamento e só depois ir até lá, pois o local se tratava da retirada de peças, o expliquei que fui direcionado ali por pelo outro balcão. Ele me informou que as pessoas que atentem no primeiro balcão são os vendedores e que após a venda o certo era ir ao Caixa.

O agradeci, porém não gostei da orientação errada que tive do vendedor. Assim o fiz, fui ao caixa, informei meu nome e fiz o pagamento, nesse do pagamento fiquei sabendo que se tratava de um par de amortecedores e não de um, pois só vendem o par. Lembrei da ilegalidade dessa prática, pois o Código de Defesa do Consumidor  (Lei 8.078 de 11 de setembro de 1990), classifica isso como venda casada, que é ilegal. Porém devido a pressa, não quis entrar no mérito do direito. Fiz o pagamento e dirigi-me ao balcão de retirada.

Após longa espera no balcão de retirada, chamaram meu nome, fui até lá e retirei os amortecedores. Os traria para colocar em alguma oficina próxima a minha casa, porém fui surpreendido por um prestador de serviço autônomo que ofereceu seu serviço de instalação para o amortecer. Em minha frente ele abriu a caixa e me mostro que um dos amortecedores estava estragado, então retornei a loja com a nota fiscal e amortecedor para  a troca.

A retornar ao banco, tive que esperar por mais alguns minutos para atendimento, ao ser atendido pela pessoa que me entregou os amortecedores, a mesma me informou que naquele setor não faz trocas, que deveria dirigir-me ao setor ao lado, mostrou-me outro balcão, e lá fui mais vez. Chegando lá, mostrei nota fiscal e pedi a troca. Porém o atendente disse que não poderia fazer a troca, pois eu estava apenas com um. O informei que outro ficou retido no balcão onde fui questionar sobre a troca. Voltei ao balcão e outro atendente me informou que o procedimento era aquele. Foi nesse momento que comecei a me estressar, pedi a ambos que me respeitasse, pois não  estava de brincadeira.

No balcão da troca não teve conversa, ele disse para eu procurar o gerente. Lá fui eu procurar a mesa o gerente. Ao encontrá-lo, expliquei toda situação, ele foi pessoalmente comigo ao balcão e aprovou a troca.  

domingo, 31 de dezembro de 2017

Retrospectiva 2017


Hoje, 31 de dezembro de 2017, escrevo a minha retrospectiva do ano, que foi muito bom, cheio de aventuras, surpresas e emoções. Foi um ano que realizei grandes produções, publiquei onze textos e doze vídeos.

Textos:

01 - Se Ele Não For O Primeiro;
02 - Você Vai Estar Lá;
03 - De Paraguaio A Venezuelano;
04 - Deus, Obrigado,
05 - Um Sentimento Chamado Amor;
06 - Pai Nosso (Our Father);
07 - Então Amanhã, Ontem Será Hoje;
08 - Vontade Sei Lá;
09 - Ei Parceiro, Esse Carro É Meu;
10 - Domingo É Dia de Churrasco;
11 - Retrospectiva 2016

Vídeos:

01 - Oca Christimas;
02 - Kastelo;
03 - Pulse;
04 - Hipnótica 5 Anos;
05 - Flip Out 15 Anos;
06 - Psycotrance;
07 - Music On 3 Anos;
08 - HipnoDreams
09 - Trance Formation;
10 - Progressive Day;
11 - Carnaval Psicodélico;
12 - Reflectiohm

O ano de 2017 foi de grande destaque de minhas redes sociais, esse blog conseguiu ultrapassar dez mil acessos, meu canal no Youtube conseguiu ultrapassar trinta mil acessos. Os textos mais acessados foram: Você vai estar lá, Então amanhã ontem será hoje e Ei parceiro esse carro é meu. Já os vídeos mais vistos foram Harlem Shake PVW, Psycotrance e Acampamento.

Foi o ano que o  mundo celebrou os 500 anos da Reforma Protestante; a economia brasileira da sinal de vida, país derrota a inflação mas não vence o desemprego; A Venezuela enfrenta a fome e a Argentina vive grandes tragédias; milhões fugiram de suas casas em busca de um vida melhor, foram muitas as notícias. E quanto a minha vida, também foram grandes os acontecimentos.

Conheci muita gente, me orgulhei de algumas, de outras só tive decepção. Tiveram acontecimentos inéditos, alguns jamais previstos. Aproveitei o máximo que pude.

Janeiro:  Tive o privilégio de começar o ano participando da Santuário Ecológico.

Fevereiro: Foi em dose dupla no plano psicodélico, compareci na Reflectiohm e Carnaval Psicodélico.

Março: Foi sensacional, estive na Progressive Day, assisti a única missa do ano, na paróquia Divino Espirito Santo, no Guará.

Abril: Muito badalado, realizei o sonho de ir ao Festival TranceFormation, em Corumbá de Goiás - GO, no qual foram três dias de muitas energias positivas, acompanhado de excelentes amigos, foi sensacional.

Maio: Muito agitado, fortalecimento de antigos laços e construção de novos. Retornei ao 5uinto, aproveitando a melhor noite de quinta feira da capital federal.

Junho: Em Goiânia tive o privilégio de ir a HipnoDreams, foi demais. Já em Brasília estive na Warmup do Festival Alterantivo do Kranti - FAK.

Julho: Um dos melhores meses do ano, conheci o Ponto da Elevação Divina, onde tive o privilégio de comungar o sagrado com a irmandade xamânica. Estive na Music On, que mais uma vez não deixou nada desejar.

Agosto: Psycotrance, a maior e mais esperada do ano, momentos inesquecíveis.

Setembro: Eufórico, experimental e festivo, afinal o mês do meu aniversário. Com comemoração em culto na Igreja Metodista da Asa Sul, confraternização no Boteco da Vila e viagem para Chapada dos Veadores, desfrutando a sensacional Alto Paraíso de Goiás - GO.

Outubro: A Sociedade Hípica de Brasília foi contemplada com a Mantra, foi minha primeira vez no evento, só tenho a agradecer, foi ótimo. Viagem sensacional para Pirenópolis - GO, onde aproveitei o melhor da culinária goiana, da arquitetura colonial, belas cachoeiras e pessoas incríveis.

Novembro: De volta a Goiânia, dessa vez para apreciar a Hipnótica, mais um sonho realizado, foi perfeito do começo ao fim.

Dezembro: De volta a cena do house brasiliense, aproveitei a Kastelo e Oca Christimas, seguido de seus badalados after's. Natal tradicional com a família. Encontro anual familiar no restaurante Nau Frutos do Mar e amigo oculto com o pessoal do trabalho na Buffalo Bio Churrascaria, da qual saiu essa foto deste texto, momento de abertura do meu presente.

Enfim, foi um ano muito bom, tenho muito agradecer a todos que de alguma forma contribuíram para isso. Que 2018 seja um ano muito feliz, com grandes realizações. Siga-me no Instagram: instragram.com/EdirNoriega e se inscreva em meu canal no Youtube: youtube.com/EdirRodrigues.

noriega@edirrodrigues.com.br

Forte abraço, paz e luz.

Edir Rodrigues

domingo, 24 de dezembro de 2017

Se ele não for o primeiro


As minhas inspirações são aleatórias, somem ao mesmo instante que aparecem. Tento aproveitá-las ao máximo. Venho pensando em tudo que já vivi e tenho vivido, não posso negar que tenho muito orgulho de mim. Tenho certeza que eu poderia ser melhor, mas meu comodismo talvez seja freio para que tudo não perca o sentido.

Sentido? Mas se o sentido seja apenas a partir de um ponto de vista. Ontem ao deitar, tive uma auto-reflexão, sobre o todo. Me perguntei se somos seres humanos tendo uma experiência espiritual, ou se somos seres espirituais tendo uma experiência humana. As vezes me perco dentro de mim, durmo para não sentir dor, as vezes durmo pensando em não acordar, e acordo pensando em não dormir.

A inquietação como evidência de existência, parte do pressuposto que a humanidade já está condenada a viver a uma eternidade. Sartre já dizia "Não importa o que fizeram com você, o que importa é que você faz com aquilo que fizeram de do você". Frase essa enfática quanto a importância do homem para a existência. Portanto, pensar na vida é impossível excluir a morte, e assim sendo, torna-se angustiante essa incerteza de que tudo isso seja.

Diante da incerteza da eternidade, muitas vezes se pode pensar se há de convir viver uma "vida severina" ou ela despachar. Entretanto há um contraposto, pois toda ação humana se pauta na busca da felicidade, por isso se tornou a felicidade uma temática capciosa e complexa.

Em meio a busca da felicidade, temos a fé como meio de quietar nossas aflições, o que não nos faz deixar de pensar nas incertezas, porém modera a ponto de ser uma luz no fim no túnel. E no meio de tantas opções, apresenta-se Deus encarnado, através do seu Filho, Jesus. E Cristo, sendo filho de Deus, em sua imagem e semelhança, nos faz também semi-deuses, afinal somos homens.

Sendo eu um deus, posso criar através do meu pensamento o mundo, o meu mundo, ou vários mundos e deles nada e ninguém jamais poderá entrar. Sendo Cristo, Deus encarnado, se revela como o detentor do maior tesouro, e a solução para todos os males, o amor. Espera-se que com o amor tudo seja verdade, tudo seja certeza, se vivo no amor sou dono da riqueza.

Hoje, dia 24 de dezembro de 2017, véspera de natal, compartilho convosco essa mesclagem de pensamentos, que vai das inquietações da existência humana ao conforto da apresentação de Cristo como a solução de todos os problemas. Independente de sua crença, desejo que tenha um feliz natal, que Ele, Cristo, o Filho de Deus encarnado, seja o primeiro em seu coração, pois se ele não for o primeiro, não passará de uma ilusão. Que o Grande Arquiteto do Universo, em sua infinita bondade,  o traga  paz e luz. E que Cristo renasça em seu coração não só no natal, mas em todos os dias de sua vida.

Forte abraço, paz e luz.

Edir Rodrigues

noriega@edirrodrigues.com

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Você vai estar lá



Como adepto do calvinismo, acredito que nada acontece por acaso. E assim segue a vida, tão enigmática e fascinante, porém despercebida por muitos. O reconhecimento da existência como fator de reflexão, ultrapassa as barreiras que vão além da percepção. 

A inspiração do título desse texto veio de uma música do Michael Jackson, que faz parte da minha playlist, é a Will You Be There, que traduzido para o português significa "Você vai estar lá". A inspiração veio de repente, logo ao acordar, já tinha ideia do que ia escrever, porém ao refletir sobre tudo que ia expressar, lembrei da música e percebi que se tratava do tema ideal, pois representa tudo que penso nesse momento.

Escrita pelo próprio Jackson em cima de uma árvore, em seu rancho Neverland, Will You Be There foi lançada em 1993, foi o grande hit do álbum Dangerous e fez parte da trilha sonora do filme Free Willy. Recebeu 7 certificados de ouro, vendeu mais 1,05 milhões de cópias. Dessa forma entrou direto no top 10 de países. Na minha opinião, essa é uma das músicas mais lindas que já conheci, é pessoal sobre a condição universal, suas palavras finais são dirigidas a Deus, se comunicam a elementar ânsia humana por amor e compreensão.

Vivemos em dias difíceis, onde o amor ao próximo é raro, onde a falta de respeito e compreensão são soberanos. Entretanto não podemos nos curvar diante de tamanha barbárie, ainda existem pessoas de bem, que acreditam num mundo melhor, que boas práticas geram uma melhor convivência. Afinal, solidariedade gera solidariedade.

Muitas vezes percebemos que fomos apenas usados por pessoas que diziam nossas amigas, em busca apenas de alcançar seus objetivos, e quando alcançados se fizeram ausentes.  É como cantava Renato Russo "é uma dor que dói no peito". Mas a vida segue, nada melhor que um dia após o outro. E como diz uma frase que costumo falar: "colhemos o que plantamos". Ninguém planta batata e colhe feijão. Quem planta colhe tudo que plantou, por isso vamos plantar a semente do amor.

Sobre a mensagem da música e minha situação atual, pergunto a você caro leitor: Você vai estar lá?
Aí você se pergunta: Lá, aonde? Pois bem, diante do exposto, o estar lá é seu compromisso, é sua honra como ser humano, como cidadão, sua dignidade. Estar lá é ser justo, compreensível, estar no lugar do próximo, e retribuir sempre que preciso.

É muito bom podermos contar com alguém que esteja lá, quando precisarmos de uma palavra amiga, de um abraço, ou qualquer outra necessidade que venhamos a ter. A reciprocidade é uma qualidade que poucos tem, porém muito admirada por mim. Afinal, quem é de verdade sabe quem é de mentira.

A minha foto acima, foi tirada em Pirenópolis  - Goiás, no mês passado (outubro/2017), numa viagem sensacional, onde pude conhecer e aproveitar o melhor da cidade, e acima de tudo fazer novas amizades, conhecer pessoas muito especiais.

Que façamos de nossa passagem pela vida um momento especial e digno, que sejamos honestos e sinceros, que estejamos lá quando for preciso, que valorizemos quem de fato mereça, que respeitamos o ser humano, a natureza, afinal, dessa vida nada levaremos.

Segue abaixo videoclipe, letra e tradução de Você vai estar lá:

Forte abraço, paz e luz.

Edir Rodrigues





Hold me - Me abrace
Like the River Jordan - Assim como no Rio Jordão
And I will then say to thee - E então vou te falar
You are my friend - Você é meu amigo

Carry me - Me carregue
Like you are my brother Como se fosse meu irmão
Love me like a mother - Me ame como se fosse uma mãe
Will you be there? - Você vai estar lá?

When whary - Quando cansado
Tell me will you old me - Diga se você vai me abraçar
When wrong, will you scold me? - Quando errado, você vai me moldar?
When lost will you find me? - Quando perdido, você vai me achar?

But they told me - Mas eles me disseram
A man shold be faithful  - Um homem deve ser fiel
And  walk when not able - E andar quando não puder
And fight till the end - E lutar até o fim
But i'm only human - Mas sou apenas humano

Everyone's taking control of me - Todo mundo está tomando controle de mim
Seems that ther word's got a role for me  - Parece que o mundo tem um papel para mim
I'm so confused will you show to me - Estou tão confuso, você pode me mostrar
You'll be there for me - Você vai estar lá por mim
And care enough to bear me - E se importar o suficiente pra me aguentar